Metade dos contribuintes ainda n�o enviou declara��o de renda ao Fisco.

24/04/2014
 
A uma semana do fim do prazo, quase metade dos contribuintes ainda n�o enviou a Declara��o do Imposto de renda Pessoa F�sica (IRPF). Segundo a Receita Federal, cerca de 14 milh�es de contribuintes entregaram o documento at� as 17h desta quarta-feira (23/4), equivalentes a 51,8% dos 27 milh�es de declara��es que o Fisco espera receber este ano.

O prazo para entrega vai at� o pr�ximo dia 30. O programa gerador est� dispon�vel na p�gina da Receita Federal na internet desde 26 de fevereiro, mas a transmiss�o dos formul�rios come�ou em 6 de mar�o, assim como a libera��o do aplicativo que permite o preenchimento da declara��o em tablets e smartphones.

Os contribuintes com certifica��o digital ou representantes com procura��o eletr�nica recebem, pela primeira vez, a declara��o pr�-preenchida. Por meio do Centro Virtual de Atendimento da Receita (e-CAC), eles t�m acesso ao documento preenchido com anteced�ncia pelo Fisco e s� precisam confirmar as informa��es para enviar a declara��o.

As regras para o preenchimento da declara��o foram divulgadas em 21 de fevereiro no Di�rio Oficial da Uni�o. Como nos outros anos, o contribuinte que enviar a declara��o no in�cio do prazo dever� receber a restitui��o nos primeiros lotes, a menos que haja inconsist�ncia, erro ou omiss�o no preenchimento.

Tamb�m ter�o prioridade no recebimento das restitui��es os contribuintes com mais de 60 anos, conforme previsto no Estatuto do Idoso, al�m de pessoas com doen�a grave ou defici�ncia f�sica ou mental.

O contribuinte pode tirar d�vidas sobre o Imposto de renda pela internet. Est� dispon�vel no canal da Receita Federal no Youtube um v�deo com explica��es sobre as novidades da declara��o deste ano e com dicas para evitar erros no preenchimento das informa��es.

Fonte: Fenacon - 24/04/2014


Prazo para entrega do IR acaba em uma semana.

23/04/2014
 
A necessidade de se contratar um contador ou advogado tributarista para fazer a declaração de Imposto de renda de Pessoa Física (IRPF) depende da quantidade de informações que o contribuinte precisa repassar à Receita Federal, principalmente sobre várias fontes de renda. Estão incluídos nessas classes o Microempreendedor Individual (MEI) e o profissional liberal, além de pessoas com dependentes que possuem rendimentos e que compraram ou venderam bens.

Considerado relativamente simples, o preenchimento da declaração de IRPF fica mais difícil conforme a quantidade de dados que precisam ser incluídos. Depois dos erros de digitação, os problemas que mais ocorrem nos relatórios são o esquecimento de fontes pagadoras pelo fato de o trabalhador ter mudado de emprego, de informações sobre valores de transações bancárias e da não inclusão de rendimentos de dependentes. Por isso, a orientação é que o contribuinte busque se familiarizar o quanto antes com o sistema da Receita Federal e, se encontrar dificuldades, procure a ajuda de um profissional.

Porém, falta apenas uma semana para o prazo final para a entrega das declarações, às 23h59 do próximo dia 30. A expectativa no Fisco do Paraná é de receber 1,680 milhão de documentos, mas até as 15 horas de ontem haviam sido enviados 798.186 formulários, ou 48% do total. No País, o último Balanço foi divulgado na quinta-feira passada e aponta para 11,4 milhões de declarações, ou 43% das 27 milhões que são esperadas.

Diretor do Sindicato dos Contabilistas de Londrina (Sincolon), o contador Aldo Roberto Camargo afirma que quem deve precisar de um profissional da área e ainda não fez a contratação deve correr. "O prazo é curto e o contribuinte que tem declaração para fazer e precisa de ajuda tem de se apressar, porque os escritórios estão lotados de serviço."

Camargo diz que a maior dificuldade é para pessoas que têm informações demais para preencher, com mais de uma renda, por exemplo, o que gera uma declaração inconsistente. "São os casos em que a declaração de gastos acaba maior do que a de rendimentos", conta o diretor do Sincolon.

O vice-presidente do Sindicato das Empresas de Consultoria, Assessoria, Perícias e Contabilidade de Londrina (Sescap), Euclides Nandes Correia, afirma que vendas de Bens também costumam gerar dúvidas, quando resultam em ganhos de capital. No entanto, ele diz que a maioria dos que enfrentam problemas são os empresários, que representam 99% dos clientes do escritório de Correia.

Nessa classe, ele cita o MEI e o profissional liberal como dois tipos que precisam de maior cuidado. "O profissional liberal precisa tomar cuidado porque tem de fazer a declaração mensalmente pelo livro-caixa e, agora, precisa fazer o ajuste", diz. No caso do microempreendedor, Correia considera que há dificuldade em fazer os ajustes relativos ao pró-labore e ao lucro no ano, que não podem exceder R$ 60 mil. "De repente houve ganho de patrimônio e o MEI precisa justificar isso", explica.

Fonte: Fenacon - 23/04/2014



Notícias anteriores:
21/04/2014 »  PEC das Domésticas não garante todos os direitos aos trabalhadores.
15/04/2014 »  NFC-e pode pôr fim à Substituição Tributária.


Histórico de notícias
Atendimento via Skype
segunda a sexta-feira das 8h30 às 17h30
 
Utilitários Contábeis
 
Consultas Contábeis
 
Tabelas Informativas
 
Documentos
 
Notícias